Últimas notícias
Últimas notícias

 

Comment on Facebook

Parabéns!

¡Bravo, Maestro!

1 mês atrás

João Guilherme Ripper

Hoje, dia 5 de março, é o Dia Nacional da Música Clássica. O gênero possui uma trajetória própria no Brasil com fantásticos compositores que criaram um imenso repertório do período colonial até os dias de hoje. Temos José Mauricio Nunes Garcia, o primeiro grande compositor das Américas no século XVIII; Carlos Gomes, um dos maiores compositores de ópera no século XIX; Heitor Villa-Lobos, que figura entre os maiores compositores do século XX; Edino Krieger, Claudio Santoro, Ricardo Tacuchian, Ronaldo Miranda, Camargo Guarnieri, Francisco Mignone, Jocy de Oliveira, Gilberto Mendes, Jorge Antunes, Marlos Nobre e todos os compositores que abriam os múltiplos caminhos da criação musical a partir da segunda metade do século passado. Nossa música contemporânea é ativa, diversa, importante e encontra nas Universidades seu principal lugar de produção, estudo e divulgação. A Bienal de Música Brasileira Contemporânea, criada por Edino Krieger, é realizada ininterruptamente desde 1975. Nossos intérpretes ganharam o mundo levando a música brasileira. Orquestras foram criadas, outras passam por dificuldades; alguns teatros, a despeito das sucessivas crises, inovaram seus modelos de gestão com resultados positivos. E, apesar deste imenso patrimônio construído, ainda não temos uma política pública para o setor; carecemos de editais de incentivo à criação de orquestras jovens; precisamos de políticas de incentivo ao intercâmbio de produções de óperas entre os (poucos) teatros brasileiros, democratizando o acesso ao espetáculo e reduzindo os custos de montagem; necessitamos que teatros e orquestras não interrompam sua programação ou percam de vista sua missão em nome de uma “popularização” do repertório — a formação de público se dá no decorrer do tempo e depende antes de tudo da qualidade e regularidade da programação. Estes são alguns dos presentes que todos nós, músicos e público, merecemos ganhar no dia de hoje pelo bom desempenho nos últimos 300 anos. Feliz Aniversário, Villa-Lobos! ... See MoreSee Less

Hoje, dia 5 de março, é o Dia Nacional da Música Clássica. O gênero possui uma trajetória própria no Brasil com fantásticos compositores que criaram um imenso repertório do período colonial até os dias de hoje. Temos José Mauricio Nunes Garcia, o primeiro grande compositor das Américas no século XVIII; Carlos Gomes, um dos maiores compositores de ópera no século XIX; Heitor Villa-Lobos, que figura entre os maiores compositores do século XX; Edino Krieger, Claudio Santoro, Ricardo Tacuchian, Ronaldo Miranda, Camargo Guarnieri, Francisco Mignone, Jocy de Oliveira, Gilberto Mendes, Jorge Antunes, Marlos Nobre e todos os compositores que abriam os múltiplos caminhos da criação musical a partir da segunda metade do século passado. Nossa música contemporânea é ativa, diversa, importante e encontra nas Universidades seu principal lugar de produção, estudo e divulgação. A Bienal de Música Brasileira Contemporânea, criada por Edino Krieger, é realizada ininterruptamente desde 1975. Nossos intérpretes ganharam o mundo levando a música brasileira. Orquestras foram criadas, outras passam por dificuldades; alguns teatros, a despeito das sucessivas crises, inovaram seus modelos de gestão com resultados positivos. E, apesar deste imenso patrimônio construído, ainda não temos uma política pública para o setor; carecemos de editais de incentivo à criação de orquestras jovens; precisamos de políticas de incentivo ao intercâmbio de produções de óperas entre os (poucos) teatros brasileiros, democratizando o acesso ao espetáculo e reduzindo os custos de montagem; necessitamos que teatros e orquestras não interrompam sua programação ou percam de vista sua missão em nome de uma “popularização” do repertório — a formação de público se dá no decorrer do tempo e depende antes de tudo da qualidade e regularidade da programação. Estes são alguns dos presentes que todos nós, músicos e público, merecemos ganhar no dia de hoje pelo bom desempenho nos últimos 300 anos. Feliz Aniversário, Villa-Lobos!

 

Comment on Facebook

E a Pimpolhos da Grande Rio homenageia hoje esse mestre.

Parabéns, João!!!

Agustina Dip

Que maravilha temos para compartilhar nessa nação musical! Viva a MÚSICA ERUDITA BRASILEIRA!!

Obrigado pelo post, vou compartilhar. Um grande abraço.

Villa- Lobos, na época foi incompreendido pelos “ Mestres da música clássica de um setor da sociedade p. Ex Escola Nacional de Música, não aceitava Villa por ser praticamente auto didata, gênio sem formação Acadêmica mas inovou na música clássica brasileira e foi reconhecido mundialmente. Japão,Estados Unidos e França reconheceram sua grande genialidade! E seus seguidores no Brasil tb o aplaudiam tanto que sem nunca ter se preocupado com honrarias , até no Brasil foi reverenciado! Tive a honra de ter sido sua aluna no Conservatório Nacional, criado por este grande Mestre, pouco antes de seu falecimento.

Viva Villa !!!!

+ View more comments

2 meses atrás

João Guilherme Ripper

A Rádio Antena 2 de Portugal transmite ao vivo a apresentação em concerto da ópera "Domitila" pelo site www.rtp.pt/play/direto/antena2 nesta quarta-feira, dia 20, às 16h (horário do Brasil).

Carla Caramujo, soprano
Ricardo Alves, clarinete
Jed Barahal, cello
Christina Margotto, piano

André Cunha, produção e apresentação
... See MoreSee Less

A Rádio Antena 2 de Portugal transmite ao vivo a apresentação em concerto da ópera Domitila pelo site https://www.rtp.pt/play/direto/antena2 nesta quarta-feira, dia 20, às 16h (horário do Brasil).

Carla Caramujo, soprano
Ricardo Alves, clarinete
Jed Barahal, cello
Christina Margotto, piano

André Cunha, produção e apresentação
Carregar mais